Noticias

Torneio Juvenil de Robótica estimula gosto pela tecnologia em jovens estudantes

By 6 de outubro de 2014 No Comments

A Faculdade de Educação Tecnológica do Estado do Rio de Janeiro (Faeterj – Petropolis) promoveu ontem o Torneio Juvenil de Robótica.O evento organizado pelo Laboratório de Sistemas Inteligentes e Robótica (SIRLab) tem abrangência interestadual e ocorre em quatro estados do pais. Nesta edição está sendo realizado em São Paulo, Pernambuco, Distrito Federal e Rio de Janeiro.

A competição conta com 12 desafios, com diferentes níveis de dificuldade, levando em consideração a diferença de faixa etária entre os participantes.

No total, 104 alunos do ensino médio, de diversas escolas da cidade e também do Rio de Janeiro, participaram da etapa Petropolis, divididos em 27 equipes.

“Nosso objetivo é descobrir talentos e estimular os alunos nas áreas tecnológicas e de exatas, como Física e Matemática”, comentou Alberto Torres Angonese, professor e coordenador do Torneio Juvenil de Robótica.

Entre as competições estiveram presentes: Resgate no Plano, no qual o robô tem que superar obstáculos de forma autônoma e resgatar uma vitima ao final do percurso; Resgate de Auto Risco, com superação de desafios em diferentes salas, tendo que superar rampa e ainda resgatar vítima; Viagem ao Centro da Terra, um desafio dentro de um labirinto; Sumo de Robô e Cabo de Guerra.

Os estudantes da Faeterj, Alexandre Magno, de 17 anos, Andriele Azevedo, de 19 anos, e Manoel Stilpen, de 17 anos, fazem pane do grupo Sir Maya e já estão trilhando uma carreira promissora. Além de estarem participando do Torneio Juvenil de Robótica, eles estão se preparando para campeonato brasileiro, marcado para o dia 17 de outubro. 0 trio é o único representando o estado do Rio.

“Estamos bem ansiosos”, revela Alexandre, dizendo ainda que para o campeonato criaram um outro robô, ainda mais evoluído. “O nível de exigência é bem maior”.

Sendo assim, o objeto deles é programado através de linhas de código, com a utilização de uma linguagem de programação C.

“A principal diferença está na plataforma. A maioria utiliza o lego, que é mais simples”, conclui o estudante.

 

Leave a Reply