Noticias

LNCC foi pioneiro em conexão com a internet

By 23 de setembro de 2019 No Comments

Este ano se completam 31 anos da chegada da internet no Brasil. De lá para cá, muita coisa mudou, inclusive no campo tecnológico e a consequente popularização da internet. Mas o que pouca gente sabe é que o Laboratório Nacional de Computação Científica (LNCC) – na época estabelecido no Rio de Janeiro – foi o primeiro local a se conectar com os Estados Unidos pela internet. Quem conta essa história é o engenheiro de telecomunicações Augusto César Gadelha, que é professor e diretor do LNCC.

As primeiras ligações foram feitas principalmente entre as Universidades de Stanford e Carolina do Norte, nos EUA. A rede era simples. Por meio de comandos, foi usada para a troca de mensagens entre os acadêmicos. “Quando as ligações começaram a chegar na Europa, as universidades começaram a perceber a importância do Brasil também fazer essa conexão”, explica o professor.

A primeira conexão foi feita em 1988, mas a pressão da comunidade científica junto ao CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) começou um pouco antes em meados de 1986. “Na época, tinha um monopólio na telecomunicação no Brasil. E a primeira batalha foi fazer com que a Telebras (Telecomunicações Brasileiras S/A) autorizasse que a conexão feita entre o LNCC e a Universidade de Stanford fosse distribuída para as universidades daqui”.

O primeiro protocolo criado para a conexão da internet era o Bitnet, o que exigia que cada conexão fosse feita por um CNPJ. Para ter uma ideia, o custo de uma conexão na época era em torno de US$ 12 mil, o que inviabilizava para as universidades. Nessa batalha, os pesquisadores conseguiram que além do Bitnet fosse implantado também o protocolo TCP/IP (que é o utilizado até hoje), sendo assim expandido para as universidades brasileiras.

Meses depois, a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) conectou-se a uma universidade em Chicago, nos EUA. Expandindo a conexão para mais acadêmicos de todo o Brasil. Para o professor, a importância da participação do LNCC na chegada da internet no país se dá principalmente pela quebra de regras para que outras universidades também passassem a ter acesso à conexão.

Já no início dos anos 1990, com a criação do WWW (World Wide Web), empresários começaram a se interessar pela internet. E no governo do então presidente Fernando Henrique Cardoso, houve uma pressão para que o serviço fosse expandido. A explosão foi rápida. Foi criado Comitê Gestor da Internet no Brasil que coordena e regulamenta as iniciativas de uso e funcionamento da internet no país.

Na época, o LNCC já era um centro de pesquisa e comunicação. O laboratório veio para Petrópolis em 1998. Hoje, é uma das instituições mais importantes do país. Líder na Computação Científica e Modelagem Computacional, atua no desenvolvimento da pesquisa científica e desenvolvimento tecnológico do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações e como órgão governamental é provedor de infraestrutura computacional para a comunidade científica e tecnológica nacional.

Embora a internet tenha sido popularizada de tal forma que o que era mato se transformou em rede Wifi, o LNCC ainda tem uma forte participação. Principalmente no que diz respeito a apoio e parceria com instituições como o governo do estado, a Prefeitura de Petrópolis, Firjan e Sebrae ofertando instrumentos em Tecnologia da Informação.

Leave a Reply