Noticias

Friburgo ganha sistema de monitoramento e entra para o grupo de “cidades inteligentes”

By 9 de agosto de 2015 No Comments

 

Ao todo, 32 câmeras monitoram em tempo real a região central do município de Nova Friburgo (Foto: Divulgação)

 
Uma rede de 25,5 quilômetros de fibra ótica, com 32 câmeras ligadas 24 horas por dia e uma central inteligente de monitoramento, promete, a partir desta semana, inserir Nova Friburgo, na Região Serrana do Rio de  Janeiro, no grupo de “cidades inteligentes” do planeta. O município acaba de ganhar um sistema de vigilância eletrônica em tempo real, que promete interligar Defesa Civil, Corpo de Bombeiros e Polícia Militar, dando mais  segurança e agilidade ao atendimento à população. O lançamento oficial do projeto “Nova Friburgo Cidade Inteligente”, que tem apoio da FAPERJ, acontece nesta sexta-feira, 7 de agosto, e contará com a presença do  Governador do Estado, Luiz Fernando Pezão. O secretário estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação, Gustavo Tutuca, e o presidente da FAPERJ, Augusto C. Raupp, acompanharão o chefe do Executivo estadual na  solenidade.
 
Idealizada pelos professores Gil de Carvalho e Joaquim Teixeira de Assis, do Instituto Politécnico do Rio de Janeiro (IPRJ), unidade acadêmica da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), a pesquisa recebeu  incentivo da Fundação por meio do Auxílio a Projetos de Inovação Tecnológica (ADT 1). No ano passado, o programa saiu do papel e teve seu primeiro evento-teste realizado durante o Carnaval. “Foi um sucesso, segundo nos  contou o comandante da Polícia Militar”, diz, entusiasmado, Carvalho, o coordenador do projeto.

 

Com a colaboração de mais 11 pesquisadores, o programa foi concebido para a região central de Nova Friburgo, cobrindo do distrito de Conselheiro Paulino ao bairro Cônego, passando pelo Centro até a Ponte da Saudade. Mas Carvalho antecipa que já estuda uma segunda fase do projeto, que integraria também as regiões periféricas do município.
 
“A intenção é levar esse sistema inteligente de comunicação, por meio da rede de fibra ótica, para os distritos da cidade, que é bastante rural. E, assim, promover a interligação de todas as escolas municipais e postos de saúde”, afirma o professor. “Queremos que haja uma comunicação direta entre alunos e a Secretaria Municipal de Educação, e que os estudantes façam uso da tecnologia da informação para captar e enviar informações dentro e fora do ambiente escolar”, acrescenta Carvalho.
Também está sendo discutida uma parceria com o comércio da região, por meio do compartilhamento das imagens de câmeras de segurança dos estabelecimentos com a Central de Monitoramento da prefeitura. “À medida  que a população for conhecendo e abraçando o projeto, iremos expandir a ideia, chegando até outras cidades e promovendo um intercâmbio mais amplo”, diz o pesquisador, salientando que prefeitos de municípios vizinhos  já mostraram interesse em levar o programa para as suas cidades.
 
O secretário estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação, Gustavo Tutuca, espera, através da atuação da FAPERJ, levar mais projetos como este para o interior do estado. “Este é o tipo de projeto em que fica claro o uso da  tecnologia e da inovação para melhorar a vida do cidadão. Através do programa ‘Cidade Inteligente’, os agentes públicos terão condições de trabalhar com mais qualidade, fazendo com que a população tenha acesso a  melhores serviços”, afirma Tutuca.
 
Para o presidente da FAPERJ, Augusto C. Raupp, que participará da solenidade, o projeto abre portas para o desenvolvimento de novos meios de comunicação entre as instituições públicas e os cidadãos. “Essa é uma  plataforma importante na medida em que poderá, também, ser usada para disponibilizar dados para a população, e, a partir daí, há sempre a possibilidade do surgimento de novos aplicativos, atendendo a outras  necessidades da sociedade”, avalia Raupp.
 
Em Nova Friburgo, a gestão do programa inteligente de monitoramento ficará a cargo da Secretaria Municipal de Ciência, Tecnologia, Inovação e Educação Profissionalizante e Superior, que, inspirada no projeto da equipe comandada por Carvalho, desenvolveu o aplicativo “Cidade Inteligente”. Nos mesmos moldes do “1746” e “Olhos da Cidade”, que já funcionam no Rio de Janeiro, os moradores de Nova Friburgo poderão enviar registros – desde a queda de uma árvore até ocorrências de trânsito e policiais – para a Central de Monitoramento do município por meio de um aplicativo, a ser baixado no celular ou em qualquer outro dispositivo móvel.
 
A partir de setembro, o Rio de Janeiro entra no clima da inovação tecnológica e sedia a conferência internacional UrbanTec Brasil 2015 – Soluções Inteligentes para Cidades Melhores. O encontro, organizado pela Fundação Getulio Vargas (FGV) e a empresa alemã Koelnmesse, vai reunir um time de especialistas nacionais e internacionais para discutir e trocar conhecimento sobre o futuro das cidades e soluções para um desenvolvimento sustentável. O evento acontece do dia 30 de setembro a 2 de outubro, no Centro Cultural da FGV. Mais informações: www.urbantecbrazil.com.br

 

O coordenador do projeto, Gil de Carvalho (à esq.), apresenta a pesquisa ao prefeito Rogério Cabral e à secretária municipal de C&T, Eliana Amil (Foto: Divulgação)

Leave a Reply