Noticias

Ferramenta digital ajuda rotina de docentes

By 29 de abril de 2014 No Comments

 
Se os meios de comunicação digitais são apontados, por alguns especialistas, como um dos vilões das dificuldades por que passam os estudantes ao longo de sua formação escolar e universitária – ao oferecer uma informação fragmentada e por levar à dispersão em um momento em que se exige concentração para assimilar ideias e conceitos –, eles, de outra forma, também já estão consagrados como ferramentas de auxílio à criação de plataformas voltadas para estimular a aprendizagem. Exemplo disso é um Sistema de Gestão de Aprendizado (SGA) desenvolvido na Região Serrana pela empresa Web Road Mídias & Sistemas. Trata-se de uma plataforma, batizada de Pauta Online, desenvolvida por dois professores da cidade de Petrópolis, com o objetivo principal de auxiliar os docentes na organização de suas atividades. Na prática, a plataforma funciona como um sistema de colaboração e compartilhamento de dados e informações entre coordenadores, professores, tutores e alunos.
 
Gerente de projetos da Web Road e uma das idealizadoras da plataforma, Marcilene Scantamburlo, ela própria professora, conta que a ideia de criar a plataforma surgiu da necessidade de atender às demandas pessoais, como professores. “Lecionando em diferentes instituições de ensino, pensamos na criação de um sistema que pudesse nos ajudar nas tarefas burocráticas e na organização de nossos materiais”, diz. “Um sistema que permitisse, a qualquer hora e não importando onde estivéssemos, contactar nossos alunos e colegas professores.”
 
Idealizado como um sistema que oferece a oportunidade de combinar o melhor do ensino presencial com o ensino a distância, também chamado de blended learning –, a ferramenta, com uma interface amigável, permite, por exemplo, que os professores publiquem e deixem a salvo um “plano de aula”, bem como enviem textos e exercícios diretamente para os alunos. Mas as possibilidades do sistema são amplas e não param por aí. Com a ferramenta, um professor ou a coordenação de um curso pode criar disciplinas, receber matrículas, disponibilizar material didático, apostilas, textos e material multimídia – por meio de vídeos, fotos e áudio –, aplicar testes, controlar e publicar a frequência dos alunos e os resultados de exames, e, ainda, se comunicar com todos os alunos por meio de mensagens, e-mails e redes sociais.
 
Segundo a docente e empreendedora, outra característica importante que está sendo implementada é o learning analytics, que permite analisar o desempenho e o percurso dos alunos, permitindo estabelecer um padrão de aprendizado para cada um deles. Para desenvolver esse módulo, que envolve recursos como algoritmos de alta escalabilidade, computação de alto desempenho e outros, a Web Road faz parte, desde fevereiro, da Incubadora do Laboratório Nacional de Computação Científica (LNCC) – unidade de pesquisa científica e desenvolvimento tecnológico, vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) –, sediado na cidade. Com o apoio da instituição, a empresa espera desenvolver novas ferramentas para auxiliar o aprendizado dos alunos.
 
Ela frisa que a plataforma não tem limitação para o número de usuários. “Como utilizamos ‘computação em nuvem’, podemos aumentar o número de usuários de acordo com a demanda, sem a necessidade do aumento de máquinas equipadas com um programa específico”, explica. A empresa faz parte do BizSpark, programa global da Microsoft destinado a startups e pequenas empresas que buscam inovação em tecnologia.
 
Marcilene ressalta que, embora o sistema tenha sido pensado para operar em ambientes que disponham de uma conexão à Internet que seja estável e razoavelmente rápida, a Pauta Online também permite àqueles que não dispõem de acesso regular à rede mundial de computadores utilizarem seus serviços. “Nesse caso, os alunos podem baixar, por exemplo, um determinado material didático, e, dessa forma, não precisam permanecer conectados durante a execução de tarefas”.
 
De acordo com a professora e empreendedora, a ferramenta foi pensada para a realidade do ensino brasileiro. “Ao contrário de outros países, onde os docentes são valorizados, os professores brasileiros, não raro, precisam lecionar em várias instituições de ensino para garantir o seu sustento. E a Pauta Online lhes oferece a chance de gerenciar de forma mais eficiente suas tarefas”, diz Marcilene. Mestre em Ciência da Computação pela Universidade Federal Fluminense (UFF), ela própria leciona em diferentes instituições de ensino superior (IES) na cidade serrana, em cursos de administração, publicidade, gestão pública e gestão de recursos humanos, e coordena o curso de sistemas de informação em uma dessas IES.
 
O sistema criado pela empresa, contudo, não se destina apenas a professores e docentes do ensino tradicional – fundamental, médio e superior –, cursos de extensão, técnicos, livres e de idiomas. A Web Road pode disponibilizar o suporte e a infraestrutura técnica necessários também para o setor de educação corporativa e para professores particulares e autodidatas. “O nosso público-alvo é o professor e nada é cobrado se o curso é gratuito. Mas se o proponente oferece mais de um curso gratuito, há taxas diferenciadas para um limite de até três cursos e para até 10 cursos. Nos cursos pagos, nossa proposta é que a Web Road fique com uma porcentagem da receita obtida pelo professor”, detalha Marcilene.
 
Contemplada no programa de Apoio à Inovação Tecnológica da FAPERJ, a Web Road já conta com mais de uma década de existência, e, como muitas empresas, vem, ao longo do tempo, se adaptando à realidade do mercado de negócios e às oscilações da economia. “A empresa foi criada em 2001, quando eu ainda estava terminando a graduação e estagiava em três diferentes empresas”, recorda. “Uma delas, que comercializava componentes eletrônicos e prestava serviços de desenvolvimento de sistemas, me propôs que eu abrisse o meu próprio negócio para que pudesse, dessa forma, prestar serviços a terceiros”.
 
No momento de abrir a Web Road, Marcilene optou por se associar a um outro empreendedor. A parceria, no entanto, duraria pouco tempo e seria desfeita cerca de um ano mais tarde, quando ela, então, decidiu partir para uma sociedade “em família”, com parentes próximos. Ao longo dos anos 2000, participou de inúmeros projetos ligados à área de TI enquanto investia em sua formação no setor e iniciava a carreira de docente. Mas foi no final dessa década que começou a se desenhar a versão inicial que resultaria na Pauta Online. Lançado, oficialmente, em novembro de 2012, o sistema já conta com mais de dois mil usuários registrados na plataforma, em todos os estados do País.
 
Sobre o futuro da plataforma, Marcilene avalia que o sistema, como é comum na área de TI, deverá ser continuamente aprimorado, a fim de garantir ainda mais eficiência. Uma nova funcionalidade que permite a transmissão de aulas ao vivo, por exemplo, vem sendo testada desde o final de 2013. A Pauta Online já conta com um aplicativo que permite “rodar” o programa em smartphones, oferecendo, assim, uma alternativa às conexões de Internet tradicionais. “Nossa aposta é que a Pauta Online pode contribuir para a melhoria da educação brasileira e ajudar aos professores em seu dia a dia”.

Leave a Reply