Noticias

Casarão pode virar centro de ciências e artes

By 4 de dezembro de 2017 No Comments

 

Um dos mais belos imóveis da cidade, a Casa Franklin Sampaio, localizada na Praça da Liberdade pode se transformar em um centro de ciência, tecnologia e arte. Um pré-projeto elaborado pelo Instituto Nova Economia do Brasil (Ineb) já foi apresentado ao Ministério Público Federal (MPF) e ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). O imóvel está abandonado há décadas e o projeto pode ser uma forma de recuperação do casarão que encontra-se em avançado estado de degradação. As janelas e portas já foram roubadas, o telhado está em ruínas; além de contar com infiltrações e mofo.
Para a implantação do projeto o Ineb busca investidores. “É um investimento alto entre R$ 12 e 15 milhões para compra do imóvel, restauração e implantação do projeto. Somos uma instituição sem fins lucrativos e esbarramos nesta questão do patrocínio”, disse o presidente do Ineb, Marco Palermo.
O projeto elaborado pelo Ineb tem como base o Instituto Weizmann em Israel e é assinado pelo professor e físico Mark Rosh. “Do ponto de vista educacional o projeto vai colocar Petrópolis no mapa internacional da ciência. Nosso objetivo é trazer grandes nomes para a cidade para promover palestras e também pesquisas”, comentou o vice-presidente do Ineb, Cleveland Jones.
Além de laboratórios de química, física e biologia, a casa Franklin Sampaio contará com exposições de arte, um planetário e um centro de convenções. O instituto também será aberto a população. “Serão instaladas diversas exposições demonstrativas na parte interna da casa assim como no seu exterior, cuja jardim foi projeto por Auguste François Marie Glaziou”, disse Marco Palermo.
Os planos arquitetônicos e de engenharia para a restauração estão sendo estudados e desenvolvidos pela equipe do Ineb, incluindo a arquiteta Renée Kreuger e os engenheiros Julio Cerveira Júnior e José Claudio Azevedo. “Tudo será feito em conformidade com as orientações do Iphan e as normas de segurança. Acreditamos que será um marco para a nossa cidade. Apesar do desafio evidente e do elevado custo, acreditamos que o projeto é considerado viável e factível”, ressaltou Cleveland.
Para a realização dos planos arquitetônicos duas visitas técnicas foram realizadas no local para reconhecimento e constatação da viabilidade do projeto. Segundo Marco Salermo, a casa está em “estado lamentável de abandono”. “Aquele imóvel já hospedou o rei da Bélgica, em 1920, além de representantes dos Estados Confederados dos EUA. É uma jóia da arquitetura que está abandonado”, lamentou o presidente do Ineb.
Construído em 1874, a casa é tombada pelo Iphan e conta com uma dívida de IPTU superior a R$ 72 mil, além de inúmeros processos movidos pelo Ministério Público Federal (MPF). O imóvel, que foi sede do governo do Estado entre 1894 e 1897, há um século chegou às mãos da família Sampaio.

Leave a Reply