Noticias

Avanço tecnológico: 85% das profissões do futuro ainda não foram descobertas

By 1 de julho de 2019 No Comments

No âmbito do investimento na educação, o Serratec acerta em cheio em um problema primário em que boa parte dos empresários tem queixa: a falta de mão-de-obra especializada para atender a demanda local e de grandes corporações. No entanto, hoje esse curso que será oferecido pelo Serratec é apenas um percentual do que está por vir com a evolução dos estudos da área tecnológica.

Para Marilene Scatamburlo, professora e empreendedora e mestre em ciência da computação, educadora há 16 anos e empreendedora há 20 anos, a velocidade com a qual se impõe a evolução, o investimento na área da educação será primordial e levanta até uma polêmica acerca do que está por vir.

“Estamos vivendo a Quarta Revolução Industrial que, diferente das anteriores, está ocorrendo rapidamente e exige pessoas mais qualificadas. 85% das profissões do futuro não existem. De acordo com o Fórum Econômico Mundial, até 2021 serão mais de sete milhões de vagas extintas. Até 2030, serão mais de 800 milhões de desempregados. A única saída é a educação. E quando olhamos para diversas profissões que não existiam há 10 anos: analista de criptomoedas, SEO, piloto de drone, desenvolvedor de aplicativos – como é hoje, me pergunto: quais serão as profissões que decolarão na próxima década? O que sabemos é que dois terços delas dependerão do uso intensivo das habilidades comportamentais (chamadas soft skills) e são criadas pela tecnologia”, explicou a professora.

Em linha com o pensamento de Marilene, Luíz Daud pontua a importância do Serratec em dar um horizonte para que o mercado de trabalho de Petrópolis, Teresópolis e Nova Friburgo também tenha uma direção no sentido do aprimoramento educacional. “Uma das primeiras iniciativas com o Serratec é criar um projeto para a capacitação e qualificação da mão de obra. Estes profissionais terão contato primeiro com linguagens de programação e, num segundo momento, passarão por treinamentos mais específicos onde terão um aprofundamento nesses temas. O objetivo é que futuramente os egressos destes cursos sejam absorvidos pelas empresas do setor que já estão instaladas aqui e, que se crie um ambiente favorável para que outras empresas vejam em Petrópolis o local ideal para novos investimentos devido à qualidade da mão de obra”, assinalou o empresário.

Atraído pelas boas condições oferecidas em Petrópolis, a Info4 veio para cá em 2010 e está aqui até hoje. Responsável por empregar dezenas na área da TI, o empresário Alexandre Macedo apoia a iniciativa do Serratec e seus planos ambiciosos em tornar a Cidade Imperial tecnologicamente conectada com os avanços do mundo. Ele defendeu que o programa educacional seja contínuo, porque transformará a vida dos petropolitanos e a economia local, por exemplo, só tem a ganhar com isso.

“São iniciativas como essa que efetivamente fortalecem a relação em que todos ganham. A partir disso, investindo na educação ajuda no combate ao desemprego, atrai o interesse em empresas que queiram vir para cá. É fundamental que as instituições de ensino se unam para que este grande projeto atenda a todas as nossas expectativas”, finalizou Macedo.

Leave a Reply