Noticias

Aplicativo auxilia deficientes a se locomoverem pela cidade

By 8 de agosto de 2019 No Comments
[vc_row type=”in_container” full_screen_row_position=”middle” scene_position=”center” text_color=”dark” text_align=”left” overlay_strength=”0.3″ shape_divider_position=”bottom”][vc_column column_padding=”no-extra-padding” column_padding_position=”all” background_color_opacity=”1″ background_hover_color_opacity=”1″ column_shadow=”none” column_border_radius=”none” width=”1/1″ tablet_text_alignment=”default” phone_text_alignment=”default” column_border_width=”none” column_border_style=”solid”]
[vc_column_text][/vc_column_text][vc_column_text]Quem possui algum tipo de deficiência física enfrenta grandes dificuldades para se locomover na cidade. E não é de hoje. Pensando nisso, a empresa BioMob lançou um aplicativo para auxiliar estas pessoas em 2016, que agora ganhará uma nova versão. Ontem, os desenvolvedores Bruno Vasconcellos, 26, e Samuel Reis, 24, juntamente com o sócio Douglas Mattos, 31, contaram ao Diário de Petrópolis um pouco mais sobre o projeto.[/vc_column_text][vc_column_text]Segundo eles, o protótipo da nova versão será lançado em dezembro deste ano. A partir dele, será definido o prazo para a versão oficial.[/vc_column_text][vc_column_text]- Após este molde, em pouco tempo teremos o aplicativo em mãos. Primeiro é feito o protótipo para que sejam corrigidos possíveis “bugs” (erros). Dentro do que está sendo desenvolvido, a nova versão deve ser mais didática – explicaram.[/vc_column_text][vc_column_text]O aplicativo, na versão atual, já traz informações de lugares de lazer, alimentação, hospedagem, cultura, saúde, calçadas, banheiros, intérprete de Libras e informações de transporte. Todas as informações trazidas pelos usuários são confirmadas por integrantes da empresa. A nova versão ainda trará mais informações, como vagas de estacionamento e vagas de emprego para deficientes.[/vc_column_text][vc_column_text]- O papel do aplicativo é facilitar a mobilidade da pessoa com deficiência na cidade. Precisamos da opinião dos nossos clientes, portadores de deficiência, para dizer os locais acessíveis. A partir disso, avaliamos e colocamos no aplicativo para ter cada vez mais informações– explica Douglas.[/vc_column_text][vc_column_text]A empresa foi inaugurada em 2016. Além do aplicativo, realiza fóruns e participa de feiras sobre a mobilidade de deficientes. Também presta consultorias a Prefeituras. Fica no Parque Tecnológico da Região Serrana (Serratec). O espaço concentra diferentes empresas do ramo tecnológico, sempre com acessibilidade. Há elevadores, banheiros adaptados, rampas de acesso, dentre outras coisas, que Douglas, que tem paralisia cerebral, considera “pequenas, mas essenciais”.[/vc_column_text][vc_column_text]- Algumas empresas em Petrópolis poderiam visualizar o Serratec como exemplo, para promover melhorias. Também vejo falta de estruturas na cidade, como rampas e adaptações de lojas. Algumas lojas querem fazer, mas encontrando problema por patrimônio histórico – disse.[/vc_column_text][vc_column_text]Segundo o desenvolvedor Samuel Reis, Petrópolis foi escolhida como piloto, porque há um potencial na cidade para melhorias na questão de acessibilidade.[/vc_column_text][vc_column_text]- Petrópolis foi escolhido para ser o foco principal destes lançamentos, porque a empresa se encontra aqui. Nada melhor que utilizar Petrópolis como cidade piloto, porque apesar de alguns problemas, vemos um potencial para melhorar. Existem pessoas que tem a disponibilidade para nos ajudar nisso – explicou.[/vc_column_text][vc_column_text]O foco da empresa, segundo os desenvolvedores, não é lucrar com o serviço, mas sim ajudar o deficiente. Como fonte de renda, eles utilizam patrocínios e prestação de serviços.[/vc_column_text][vc_column_text]- Hoje nossa fonte de renda vem de patrocínios e prestação de serviços a prefeituras. Hoje, a BioMob é patrocinada pelo Instituto Nissan e também estamos procurando outros patrocinadores. Existem empresas sérias que querem ajudar – afirma Bruno Vasconcellos.[/vc_column_text][vc_column_text]O orgulho em fazer parte do projeto é grande. Samuel conta que sempre sonhou em trabalhar com algo do tipo e, agora, sente-se realizado.[/vc_column_text][vc_column_text]- É um sentimento que faço parte de algo grande. Quando fui sondado para poder participar, me deixou muito contente. Sempre me vi trabalhando com coisas inovadoras para facilitar a acessibilidade e desenvolver o máximo de independência possível para pessoas que possuem limitações. É um posicionamento pessoal, mas fico muito contente participando de algo grande, voltado para esta área e numa empresa com a atuação que a BioMob tem – disse Samuel.[/vc_column_text][vc_column_text]Fonte: Diário de Petrópolis [/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]

Leave a Reply